Insira seu e-mail e receba mais informações sobre nós

Carta de apresentação:

Em um mine curso sobre Teoria Marxista que particei, ouvi uma frase que dizia mais ou menos assim: É fácil interpretar a sociedade, a questão é modificá-la.  Em cima dessa frase eu questiono: Qual é o nosso papel como futuros cientistas sociais? Podemos concluir a nossa missão com alguns artigos, teorias ou livros publicados? Não. Tenho certeza absoluta que não. Além de sermos seres humanos, e termos que fazer valer esse título de "ser humano", somos cientistas sociais. Interpretamos e estudamos as sociedades, mas temos também o papel de modificá-la. É nisso que a Chapa Pro Rural, está empenhada. Temos como objetivo trazer melhoras não só para o nosso curso como também para a comunidade. Eu, Jéssica Miranda,aluna do segundo período, quando soube que o nosso curso não tinha um DA, fiquei impressionada. - onde estão os caras que diziam que a maré ia virar ?
Me perguntava sempre! Como pode um curso dessa dimensão não ter um diretório acadêmico? Confesso, que a galera do coletivo Atos, representaram muito bem voz estudantil.
Não somos um chapa partidária, muito menos queremos uma eleição assim. O que queremos, para ser sincera, é uma eleição não só comprometida com as idéias, mas comprometida também, com a concretização delas. Porque como nós já sabemos, todas as vezes que as idéias foram gritadas, um sistema forte e impiedoso tratou de deixá-las mudas. E elas não passaram apenas de idéias. Então chegou a hora, de fazermos diferente! Chegou o momento de trabalharmos mais e falarmos menos. É o momento de lutarmos e concretizarmos os direitos daqueles que já estão concluindo o curso, mas também daqueles que começaram agora ou ainda que nem começaram. Não só por nós, futuros cientistas sociais, mas também pela nossa cidade, pelo nosso Estado, pela nossa Nação! Porque precisamos disso: Pessoas engajadas, afim de promover uma melhora, seja ela qual for! Tenho certeza, que todos vocês que estão lendo esse texto, em algum momento das suas vidas, já tiveram a vontade de mudar o mundo. Mas se essa realidade é um tanto quanto distante ou impossível, por que não mudarmos o nosso mundo? A mudança deve começar pelo centro para depois se expandir! E o nosso centro, é o nosso curso, é o nosso Departamento de Ciências Sociais. Por fim, que possamos olhar os outros, que as boas novas não sejam só boatos, e que amanhã seja um dia melhor! Não estamos sós!  


Atenciosamente,
Jéssica Miranda.